Páginas

sábado, 20 de novembro de 2010

16:03:32'

Quem foi que inventou o amor? Quer dizer... Quem chegou um dia e disse “Depois dele falar comigo, fiquei com a perna bamba... Meu sorriso não sumia e senti algo diferente aqui dentro! Oh, deve ser o amor!”

Bom, as borboletas na barriga não surgiram do nada. Elas foram inventas por alguém que achava um máximo ficar sonhando e viajando com ‘aquela’ pessoa, concerteza era uma pessoa que adorava sentir o coração pular tão forte que faltava pouco pra sair voando pela boca, uma pessoa que certamente se sentia feliz e muito realizada em ficar triste, chorar do nada, sentir o coração se cortar e se partir em pequenos pedacinhos.

Eu queria saber quem inventou isso, porque depois que inventaram o amor, pessoas começaram a amar. E não foi só isso, pessoas começaram a sofrer, pois no mesmo dia que inventaram o amor inventaram o sofrimento. Pessoas começaram a magoar e as mais fracas começaram a ser magoadas.

Por causa de uma pessoa, muitas se sentiram só, no momento do qual eram pra se sentirem felizes junto com muitos amigos, junto com grandes farras, junto com varias expectativas no trabalho! Família reunida tudo dando certo, mas aquela vontade de gritar bem alto “EEEU ODEIO MUITO O MUNDO“ fala mais alto. As pessoas vêem você arrumada e de salto alto com um sorriso bem discreto no rosto, o cabelo levemente preso ou às vezes caindo sobre os olhos, mas o que você queria mostrar mesmo era o seu coração, como ele pensa... Como ele diz, o que será que está acontecendo comigo? Mas o medo é tão grande de alguém responder essa pergunta, que você se mostra feliz ou pelo menos satisfeita, desculpa satisfeita estamos só não estamos contentes de querer alguém e ao mesmo tempo não querer! Isso é um saco, você não sabe mais da onde tirar mentiras e nem pra onde ir, nesse momento o melhor lugar do mundo é a sua cama no seu quarto com a porta fechada e a musica alta.

No sábado você tem planos e varias pessoas contando com você, você adora! Você quer cada vez mais! Mas a chuva chega e estraga tudo. Leva pela enchente toda a sua felicidade e alegria, toda a sua ‘esperança’ daquilo dar um jeito na sua rotina. Aquilo que você sente não é amor, é mais confuso é um tipo de solidão calma um jeito diferente de dizer que você não esta sozinho, mas é como se estivesse!

Sabe às vezes eu me arrependo de muitas coisas que já fiz, ou só penso que me arrependo, eu já passei horas pensando nisso e já conclui que não me arrependo de nada, ou seja um infelicidade a menos na minha vida...

E se você parar pra pensar você até se orgulha de se arrepender sabe por quê? Por que pelo menos você fez!

by: Caroline Souza


Nenhum comentário:

Postar um comentário